E agora, faltou emoção?

Agora eu quero ver.

É incrível! Olha, eu não sou jornalista, não tenho décadas de experiência cobrindo F1 nem bola de cristal como um monte de “formadores de opinião” do automobilismo por aí dizem e demonstram ter, mas agora eu quero saber: vocês não tinham dito que a F1 com o regulamento atual estava fadada a provas sem ultrapassagens e emoções?

Estou longe de ser um oráculo, mas como fanático admirador da velocidade e em especial da F1, mais uma vez eu acertei. Não sei porque as pessoas do meio tendem ao pessimismo e não compreendem que é preciso ter paciência e saber observar. O que eu sei é que, como raríssima exceção, todos os sabichões meteram o pau na F1 e no GP do Bahrein e se deram mal até aqui. É certo que a primeira etapa do mundial foi monótona mas, eu como eu disse anteriormente, não serviria de parâmetro pois ali seria o primeiro teste real que as equipes e pilotos teriam pela frente, como se fosse uma amostra do que o ano reserva. Sendo assim a cautela certamente seria predominante, ainda mais num circuito moderno que como a grande maioria da espécie, desprestigia a competição e as ultrapassagens.

Assim como aconteceu no GP de 2009, o circuito de rua da Austrália trouxe grandes emoções e a corrida foi recheada de ultrapassagens, surpresas e disputas.

O que vimos foram pelo menos 5 equipes brigando pela ponta e andando bem perto:

Button aos poucos vai pegando a mão e dessa vez deixou claro que realmente é um campeão;

– Um incrível Robert Kubica conquistanto o segundo lugar com uma equipe que até então estava sem moral, falida, sem pilotos e prestes a se retirar do mundial

– Massa, mesmo não tendo andado bem o fim de semana todo e não tendo encontrado um bom balanço para seu carro e seu estilo, não poderia ter ido tão bem como foi ao chegar em terceiro

– Alonso mostrou do que é capaz um bicampeão pois, quando todos achavam que estava fora, ele se recupera e com certa dose de sorte, chega entre os 5

– Hamilton mostrou-se extremamente agressivo e, além disso, uma característica que acho fascinante; mostrar poder em momentos desfavoráveis e fez uma corridassa!

– Webber, ridículo. Novamente erros grotescos, falta de precisão e cada vez mais me convence de que em 2011 perderá seu lugar na Red Bull

– Vettel, embora o piloto mais veloz em 2010 até aqui, ainda não tem a sorte a seu lado e outra vez perdeu uma corrida ganha. Vale dizer que campeões precisam de sorte, e muita!

– Schumacher se enrolou logo na primeira curva com Alonso e Button e, mesmo tendo feito 3 paradas no boxe, consegui chegar na zona de pontuação

Certamente os críticos e assépticos vão achar outras desculpas para maltratarem a F1, já que um é mais sabido que outro, mas continuarei a bater na mesma tecla de que o campeonato será eletrizante, como já começa a mostrar a tabela de pontos!

Mas e vocês, o que acham? Partilham de qual opinião?

Que venha o GP da Malásia já no próximo fim de semana! 😉

Anúncios

De verdade ou de mentira?

Olá, pessoal!

Foram pouquíssimas as vezes que o HAT TRICK abordou a velocidade virtual. Pois bem, gostaria de contar a vocês sobre minhas novas aventuras automobilísticas, agora também virtuais. Pra quem conhece pouco ou nada sobre automobilismo virtual, puxe a cadeira e chegue mais.

Hoje em dia graças a tecnologia e grandes profissionais, o mundo dos games é fantástico e em especial os simuladores de corrida. Como eu não sou nenhuma criança, posso dizer que acompanhei toda a evolução através dos anos e passei por todos os principais simuladores, desde os primários Stunts, Indy 500, World Circuit, Nascar até os mais modernos e fantásticos GTR2, GTR Evolution, Race 07 e Race On.

O mais incrível é que o nível de simulação de hoje é surpreendente em todos os aspectos, não apenas visualmente e comportamentalmente, mas também em acessórios como volantes e pedais, o que me torna fanático pela brincadeira. Mas, indo além, hoje existem milhares de adeptos do esporte espalhados pelo mundo e, como não poderia ser diferente, o Brasil está muito bem representado. Como a procura é muito alta, hoje existem várias ligas onde os pilotos virtuais fazem suas incrições e, em alguns casos, nem precisam pagar taxa para servidor (geralmente entre R$ 20,00 e R$40,00). A partir daí é possível montar uma equipe, personalizar caros, escolher categorias, encontrar virtualmente a galera e a diversão está garantida. Outra coisa legal é que os simuladores e as ligas abrem oportunidades para que novas amizades sejam feitas Brasil a fora. Com tudo isso, sites de transmissão de corridas virtuais foram surgindo e hoje a coisa está com um nível cada vez mais bacana. Como sabemos, o mercado de entretenimento é muito atraente e lucrativo e com tudo isso até patrocionadores e empresas interessadas estão envolvidas. Não tenho dúvidas de que daqui a algum tempo a coisa estará bem encorpada!

Volvo C30. É com este modelo que irei disputar o Super Turismo.

Este carro é tradição dianteira e os principais adversários são Seat e BMW.

Após toda a introdução, eu gostaria de mostrar pra vocês como foi minha estréia neste mundo virtual. Neste último mês participei de seletivas para correr em duas categorias diferentes (Total Formula: entrei para Série A e Super Turismo: entrei para a Série B) e agora eu faço parte da liga LPRacing (www.lpracing.com.br) e a partir do mês de abril irei participar de dois campeonatos, cada um com 5 corridas.

Aqui vocês podem conferir o VT da corrida seletiva que participei, e que foi transmitida pelo site www.racebrasil.com.br , para a categoria Total Formula. Eu apareço nos seguintes minutos desta transmissão:
5:30 /12:00 /14:30 / 15:30 (largada da corrida) / 27:40 / 29:40 / 31:40:

http://www.racebrasil.com.br/player.php?id=350

Formula Master é o nome da categoria. Com ele vou disputar o Total Formula.

Os carros são tração traseira e altamente ariscos. Errar é fácil e ultrapassar altamente difícil.

Para concluir, considero que meu desempenho nas seletivas foi muito bacana e agora é treinar com meus companheiros de equipe. Certamente neste ano o HAT TRICK irá abordar mais sobre automobilismo virtual, inclusive informando sobre minhas disputas, que espero serem eletrizantes!

Grande abraço,
André Mansano

Já deu pra sentir um gostinho…

Olá, pessoal!

Enfim, começou a F1! Devo admitir que minha ansiedade já estava se tornando quase tão forte quanto a de uma mulher que quer casar! Rs! Muitas estréias, muitas expectativas, algumas comparações interessantes e um pouco de falta de ultrapassagens. No balanço geral acho que a primeira corrida foi interessante e serviu para tirarmos algumas dúvidas.

Como eu imaginava, as potências maiores devem ser Red Bull e Ferrari, seguidas de McLaren e Mercedes https://andrevhmansano.wordpress.com/2010/03/02/quem-esta-na-frente . Meu palpite para a vitória era o Massa, mas tinha certeza que os outros dois postulantes seriam Alonso e Vettel. Se não fosse a perda de potência de Vettel próximo ao fim da corrida, ele teria levado essa com todos os méritos. Alonso mostrou que vem com tudo, que vai crescer ainda mais e que definitivamente

Massa não terá vida mansa, mas vale ressaltar que Massa teve de se limitar ao segundo lugar a cerca de 25 voltas do fim pois, segundo seu engenheiro informou pelo rádio, o carro estava superaquecendo e era extremamente necessário reduzir o ritmo.

Embora muita gente não goste, eu sou fãn declardo de M. Schumacher e mais uma vez o cara mostrou que o alto nível de intimidade entre ele, a pista e um carro de F1. Todos achavam que ele levaria um “caldo” de seu companheiro Nico Rosberg, mas o que vimos na corrida é que Schumacher andou próximo o tempo todo, não cometeu erros e sequer foi pressionado pelo atual campeão Jenson Button, que ficou o tempo todo perseguindo o heptacampeão.

Ponto posivito pra Bruno Senna que aos pouco foi evoluindo e melhorando seus tempos (que no início chegaram a ser 12 segundos mais lentos por volta e que, antes de sua quebrar, caíra para 8 segundos por volta. Quanto a ele o que mais me impressionou foi a semelhança física com o tio, logo que ele estacionou o carro quebrado e levantou a viseira. Aquele momento foi de arrepiar…

Lucas di Grassi sim, este vai ter muito trabalho com um carro que até agora não passa a menor confiança no quesito durabilidade. Tenho a sensação que ele conseguirá completar pouquíssimas provas este ano.

Rubinho bem que tentou, fez o que pôde, deu um belo caldo no talentoso e rápido Nico Hulkenberg companheiro de equipe, mas é claro que o máximo para a Willians é chegar em nono/décimo.

Concluo achando que a corrida foi muito boa, que o campeonato realmente promete muitas disputas e evoluções, mas a sombra das poucas ultrapassagens ainda rondam o circo.

Estão de acordo?

😉

Quem está na frente?

Olá, pessoal!

Eu nunca imaginei que ficaria tanto tempo sem escrever aqui no HAT TRICK, só que a correria e as responsabilidades têm me segurado muito. Mas é lógico que não vou largar nada, ainda mais porque o calendário mundial do automobilismo está apenas começando!

Falando sobre a F1, na semana passada foi encerrada a pré-temporada, ou seja, período em que pilotos e equipes colocam seus bólidos na pista pra testes, impressões e evoluções. As escuderias passaram por três circuitos espanhóis: Valência, Jerez e Barcelona.

O que vimos é uma disparidade relativamente grande entre as equipes tradicionais e as equipes novatas, aparentemente. Mas, na opinião de vocês, qual ou quais as mais bem preparadas? Vale lembra a partir do dia 13 de março a temporada oficial vai começar e, embora ainda seja difícil definir com precisão os favoritos, eu arrisco no seguinte:

Primeiro nível:
– Ferrari
– Red Bull

Segundo nível (mas não muito distante):
– Mercedes
– McLaren

Terceiro nível (um pouquinho mais atrás)
– Sauber
– Williams
– Force India

Quarto nível
– Toro Rosso
– Renault

Quinto nível (relativamente longe)
– Virgen
– Lotus

Incógnitas (por que ainda não apresentaram os carros – se é que vão mesmo correr)
– StefanGP
– Campos/Meta
– USF1

E ai, o que acham?