Laguna Seca, Quente e Decisiva!

Olá, pessoal!

Tem muito narrador e muita gente que diz que F1 é mais lento que Fórmula Indy. Isso é relativo, mas olha só o que aconteceu um dia, numa era relativamente recente, quando um F1 andou numa pista frequentada pela Indy. Vale lembrar que o tradicionalíssimo circuito em questão é o de Laguna Seca, etapa quase que constante nas temporadas da Fórmula Indy. O circuito fica nos EUA e tinha seu recorde estabelecido por Hélio Castro Neves na era turbo da Indy, ou seja, tempos em que a Indy dispunha de seus carros mais potentes. Então vejamos a ação!

F1- Câmera ONBOARD
É um absurdo notar como o carro freia rápido e dentro das curvas. Sem falar no solavanco da cabeça do piloto a cada marcha pra cima:

F-Indy (finada Champcar)- Câmera ONBOARD
Infelizmente não consegui um vídeo do Hélio, mas este aqui vale como referência. A diferença é notória!

E aí? Convencidos?

Abraços,
André Mansano

Anúncios

Da pista pra rua.

Olá, pessoal!

No final de semana passado a F1 pisou pela primeira vez em território europeu e por lá rolou o GP da Espanha. Algumas coisas foram notáveis em relação as grandes forças, o que já nos dá uma certa noção de como será a temporada daqui pra frente:

– Red Bull: Dessa vez Vettel não brilhou como habitualmente e quem venceu com sobras foi seu companheiro, o já veterano, Mark Webber. O mais interessante é que embora a Red Bull tenha o melhor carro (opinião de todos) ela é apenas a terceira colocada na disputa dos construtores. Isso se dá ao fato de muitas quebras

– McLaren: Button foi relativamente discreto, atacou Schumacher várias vezes porém não conseguiu superá-lo. Embora não tenha ficado tão contente com seu desempenho, é o líder do campeonato sem alardes e sem foco sobre si. Hamilton, que estava fazendo mais uma excelente exibição, outra vez teve um problema em que sua roda e pneu estouraram no meio da curva e lá se foi seu segundo lugar que estava mais do que garantido

– Mercedes: Devido as mudanças em seu carro, parece que agora Schumacher tem tudo pra se recuperar. Embora não tenha conseguido ser agressivo, segurou a poderosa McLaren, o ímpeto combativo de Button e somou bons pontos. Em contra partida Rosberg foi mal e sequer chegou perto dos pontos

– Ferrari: Alonso foi sinônimo de sorte eu sua terra natal. Fez um boa corrida e chegaria em quarto lugar, mas no final da prova herdou duas colocações (Vettel e Hamilton) sem qualquer esforço, uma delas na última volta quando Hamilton bateu. Alonso é vice líder do campeonato a apenas três pontos de Button. Massa, que continua apático, começa a dar sinais de preocupação, não apenas com seus maus desempenhos, mas também com a rápida adaptação do bicampeão na garagem ao lado. Fica claro o talento de Alonso e cada vez mais começam a pesar a seu favor os dois títulos mundiais que conseguiu. Além disso cresce a especulação de que em 2011 Massa dará lugar a Kubica. É melhor Massa se espertar e reverter a situção, caso contrário será seu fim da linha na Ferrari 

A próxima corrida já acontece neste final de semana, começando com os treinos livres na quinta e não na sexta, como é a tradição em Mônaco. Se a corrida da Espanha foi chata, imaginem como será a corrida nas estreitas ruas de Monte Carlo. O negócio é ir o melhor possível nos treinos pra sair o mais pra frente possível. Na hora da corrida ganha quem não cometer erros nos boxes ou não acertar a parede, embora haja possibilidades de chuva.

Abraços,
André Mansano

É, não foi dessa vez.

Pois é, pessoal. Eu tinha tudo pra me recuperar no campeonato, depois da tal pane seca, mas fui surpreendido da maneira mais inusitada possível. Durante a semana antes da prova, treinei bem e consegui um excelente ajuste (setup) pro meu carro, tanto pra treino quanto especialmente para corrida. Mas na hora do “vâmo vê” não foi bem assim.

Notei que durante os treinos meu carro estava totalmente desequilibrado e eu não conseguia chegar perto nem da aderência e muito menos dos tempos de volta que eu tinha. Chequei minhas configurações e tudo estava certo…   daí pensei, “será que as condições da pista mudaram?” E foi exatamente isso que notei! A pista estava mais quente do que quando eu obtive meus ajustes e, por conta disso, eu não conseguia aderência esperada. No final das contas consegui redefinir algumas coisas do setup e o carro melhorou para o treino de classificação, mas não o suficiente pra me qualificar bem e o melhor que consegui foi o nono lugar do grid.

Tendo estes problemas climáticos em vista, a corrida pra mim seria uma incógnita e intuitivamente tentei obter o melhor setup, que geralmente é um para treino e outro pra corrida, na busca de aderência. Assim que foi dada a largada pulei da nona para a sexta colocação mas logo na segunda volta eu vi que iria sofrer a corrida toda pra me segurar na posição, pois o desequilíbrio do carro era evidente.

Dito e feito: logo na quinta volta, numa das curvas mais complicadas e sendo muito pressionado pelo sétimo colocado, meu carro bateu no chão fazendo com que eu perdesse o controle e com isso acertei com o bico do carro na mureta e lá se foi meu aerofólio dianteiro e minha corrida.

Resumindo: com muita paciência e persistência, consegui me recuperar e cheguei em nono lugar, obtendo então meus primeiros pontos no campeonato.

Na minha opinião foi uma corrida muito chata, não só porque perdi minhas possibilidades logo de início, mas também pela falta de intensas disputas. Se vocês assistirem ao VT logo abaixo vão ver que os carros ficaram muito distantes uns dos outros e que no geral a corrida foi meio monótona, exceto pela última volta, bem diferente da corrida de abertura em Road America.

Total Formula – VT da segunda etapa do campeonato – Laguna Seca

http://www.racebrasil.com.br/player.php?id=400

AGRADECIMENTOS ESPECIAIS: Aos meus camaradas que acompanharam a corrida ao vivo, Felipe Figueira (Pudim), Felipe Simões (Cometa), Gus e Cássio Homem de Mello (Copa Montana)

Agora o próximo desafio será no difícil e técnico circuito de Okayama, no Japão e certamente vou convidá-los a assistir e me dar uma força.

Grande abraço!  😉

André Mansano