2a Etapa – Mini Challenge

Olá, pessoal!

To meio atrasado com este assunto por conta da correria, mas vamos lá. Na semana passada, mais precisamente na terça-feira (22.02) a noite, fiz minha segunda prova pela Mini Challenge e foi extremamente divertido. A corrida rolou em Nurburgring Mullenbach e dessa vez a pista estava seca. Vale apena conferir o VT da ótima transmissão feita pelo Speedv, com narração de Fábio Zittel e comentários de Carlos Lelis. Vejam quem foi o piloto destaque, hehehe!

 

😉

Anúncios

AMIKA – Um novato experiente

Olá, pessoal!

Na noite desta quinta-feira última (17.02), fiz minha estreia no mais famoso campeonato de kart amador do Brasil; AMIKA.

Para se ter uma ideia da organização, tradição e procura, pra entrar neste campeonato há fila de espera de pelo menos um ano, ou então você dá a sorte de ser convidado pra entrar, o que foi o meu caso! ;). O campeonato conta com a presença de 43 pilotos.

Resumindo, a galera é gente boa pra caramba, anda forte pra valer, há pegas acirrados/ralados e a organização é exemplar. Foram duas baterias, com cerca de 20 pilotos em cada, que rolaram no kartódromo de Interlagos e embora o traçado seja bem empolgante, os karts estão péssimos. Pode ser que alguns tenham mesmo 13hp, mas certamente há alguns com 10, 9, 8…

No sorteio de karts peguei um péssimo (na corrida anterior ele terminou em último) que, além do “volante de caminhão”, não tinha a menor estabilidade. Em minha segunda volta com ele durante a qualificação, entrei nos boxes e troquei por outro apenas um pouco melhor. Sobrando só dois minutos pra acabar o qualy, consegui registrar o quinto tempo entre os dezoito pilotos.

A corrida foi bacana, e a duas voltas do final quando eu estava em terceiro, colado no segundo e a cerca de três segundo do líder, acabei sendo surpreendido no retão por um kart (este sim com 13hp) que me engoliu antes da freada. Ainda assim consegui registrar a volta mais rápida dos que correram comigo e terminar em quarto lugar não foi nada mal para uma estreia!

Em breve postarei fotos aqui pra vocês, portanto, a continuar…

😉

Mini Challenge – O que rolou na etapa 1.

Olá, pessoal!

Para os amigos que não puderam assistir ao vivo e quiserem saber o que rolou na primeira etapa do campeonato virtual Mini Challenge, realizada em Curitiba, aqui vai o VT!

Ele é longo pois envolve Qualify / Warmup / Corrida, mas é possível avançar se esperar um pouco até carregar. As imagens e o som estão ótimos e vale muito a pena conferir os pegas e incidentes.

Embora eu tenha sido pego de surpresa pela chuva, já que eu e muitos outros pilotos só treinamos no seco e as dificuldades triplicaram, foi possível fazer uma corrida de recuperação e se virar, hehehe!

Aqui vai:

Abraços!

😉

Enfim, velocidade!

Olá, pessoal!

Hoje (terça-feira) inicio minha temporada no automobilismo virtual correndo pela primeira etapa do MINI CHALLENGE e convido todo mundo a acompanhar a transmissão da corrida ao vivo.

ONDE?

Por meio do site Speedv clicando na aba “Transmissão ao vivo”

QUE HORAS?

Deve iniciar entre 22h e 22h15

Aqui vai uma imagem do meu carro. Correrei pela equipe WPC, caro número 5

Mais detalhes e informações vocês pode conferir em:

http://fabricaeditorial.com.br/blog/?p=1145

Será uma corrida extremamente disputada e agradeço desde já a todos que puderem dar uma força. Vale a pena conferir!

😉

Asas Indomáveis!

Aproveitando o embalo dos lançamentos onde as principais equipes, exceto a McLaren, já apresentaram seus carros, vale ressaltar uma novidade que ainda é uma grande incógnita: as asas traseiras móveis. Mas antes de mostrar como funcionam, vamos a explicação técnica:

– As asas traseiras oferecem uma regulagem que interfere demais no comportamento de um carro de F1. Quanto maior o grau de angulação maior será a carga aerodinâmica e o resultado é maior estabilidade em curvas e menor velocidade em retas. Geralmente em pistas de alta velocidade, como Monza na Itália por exemplo, usa-se “pouquíssima asa traseira” e o inverso é feito para pistas de baixa velocidade, como em Mônaco. Até o ano passado a equipe tinha de escolher durante os treinos como seria o setup da asa, optando por maior estabilidade em curvas ou maior velocidade em reta e assim o piloto tinha que enfrentar todo o final de semana.

Com a introdução das asas traseiras móveis a ideia é fazer com que ao entrar nas retas o piloto mude a regulagem apertando um botão no volante do carro (sim, mais um botão!) a fim de conseguir maior velocidade em busca de ultrapassagens e, ao chegar nas curvas, soltar o botão para que a asa volte a regulagem inicial com maior angulação. Será que vai funcionar? Vale lembrar que o piloto perseguido poderá fazer o mesmo para se defender…

Aqui vai um vídeo que mostra claramente como funciona o sistema na Sauber:

Eu não acho que fará grande diferença, embora seja interessante imaginar o que poderá acontecer se o piloto ativar o kers e mover a asa ao mesmo tempo.

😉