As 500 milhas – A primeira vez a gente nunca esquece.

Por conta de um dia muito especial, resolvi escrever novamente aqui no HAT TRICK. Não só pra não esquecer do que aconteceu neste dia, mas pra poder relembrar dos detalhes ao máximo.

O dia?
Sábado, 01.11.2014

O local?
Kartódromo Granja Viana – Cotia – SP

Tudo começou alguns meses antes quando o grande amigo Miguel Capuccio me fez um convite pra correr de kart num endurance de 12h horas de duração, algo que eu jamais imaginei fazer. Miguel queria que eu fosse um dos pilotos integrantes da equipe AMIKA, pra participar daquela que deve ser a maior competição de kart amador do Brasil, junto com o campeonato Brasileiro; As 500 milhas do Kartódromo Granja Viana.

Juntaram-se a nós mais três grandes amigos ótimos pilotos: João Lapetina, Stênio Campos e Rodrigo Lopes. Sendo assim foi só esperar chegar a data, mas aproveitar o tempo até ela pra se preparar ao máximo, dentro e fora da pista. Contagem regressiva e os meses foram se sucedendo.

Um dia antes eu já tinha deixado tudo preparado. Dentro do carro já estava a mala com macacão, sapatilhas, camisetas da AMIKA, 2kgs de lastro para canela, luvas, balaclava e capacete. Além de todo este equipamento estava uma mochila com troca de roupa pós-banho e também uma placa de sinalização de pista de mais ou menos 1 metro de altura, que foi construída por mim em 2008, quando com outros pilotos corri um endurance de 5 horas.

Eis que chegou o dia. Acordei as 5h15 da manhã, me troquei, fiz um café forte naquela máquina Nespresso, comi um croissan de queijo branco, escovei os dentes e liguei o Iphone. Logo de cara mandei uma mensagem no whatsapp do Rodrigo Lopes dizendo: “Bom dia, mano! To saindo de casa agora! (5h49). Te ligo quando eu chegar ai. Abs ;)”. As 5h52 Rodrigo me responde: “Blz!!! To esperando”. E lá fui eu. Desci pra garagem, liguei o carro, ascendi os faróis, já que era praticamente noite ainda, e fui feliz rumo ao Ipiranga. Cabe um parentêses:  Brilhante ideia de deixar o carro carregado na noite anterior. =)

Cheguei no endereço da casa do Rodrigo as 6h10, liguei pra avisá-lo e ele já estava na portaria me esperando. Manobrei o carro na porta do prédio e ele já vinha em minha direção. Nos abraçamos como duas crianças que acabaram de ganhar brinquedos, carregamos mais ainda o carro com os equipamentos dele, um computador para telemetria, uma mochila lotada de Gatorades e um bolo feito pela sua esposa, a Vivian. Este bolo aliás estava ótimo e foi salvador. Valeu Vi! kakakakaka! E lá fomos nós, batendo papo o caminho inteiro.

Aliás, durante todo o caminho choveu bem, mas em 40 minutos chegamos no kartódromo tranquilamente. Como esperado, estava bem vazio. Estacionei bem na entrada dos boxes, pra ter acesso fácil ao carro durante todo o dia, pois seria necessário, e fomos identificar onde estava exatamente nossa garagem no pitlane. Pelo mapa das garagens a nossa era a 49, bem próximo a saída dos boxes, a achamos e com ela uma surpresa: já tinha uma equipe lá começando a ocupar indevidamente nosso lugar. Os caras montaram uma puta parafernália de coisas! Mas, após falarmos com eles, notaram o erro e gentilmente desmontaram tudo e foram pra garagem certa, que era ao lado. Muito bem.

Uns 15 minutos depois começaram a chegar os demais. Primeiro veio o João Lapetina, depois o Stênio e logo depois o Miguel. Em mais algum tempo, não muito, todo o kartódromo estava tomado de gente. Muita gente conhecida também, muitos pilotos amigos adversários, claro. A essa altura nossa garagem estava toda montada com computador, monitores, placa de comunicação, comida, bebida, equipamentos de corrida e tudo mais.

Veio então o chamado do locutor do kartódromo para que todos os pilotos se juntassem no pitlane para o Briefing de pilotos. Legal. Orientações dadas, dúvidas tiradas, dai pra frente uma coisa foi sucedendo a outra. Logo veio o sorteio do numeral das equipes, sorteio dos karts, sorteio dividindo as 71 equipes em duas sessões de 10 minutos para classificação e chamado pra pista. Hora de queimar a borracha e desenhar no asfalto.

Lá pelas 9h fiz a classificação pela equipe, caímos no segundo grupo de 10 minutos, o que foi bom. Nossa vantagem em relação a turma da primeira sessão é que já tínhamos noção dos tempos de volta. Infelizmente era um traçado longo que pra fazer tempo competitivo era preciso fazer alianças na pista. As alianças são nada mais nada menos do que um kart empurrar o outro, assim aumenta-se a velocidade final de ambos. Mas claro, empurrar não é bater. Por indicação do Miguel fiz uma aliança antes mesmo de sair dos boxes, mas fui bastante prejudicado pelos dois babacas que “fizeram aliança” comigo. Fomos pra pista, eles a minha frente. Eu nitidamente era mais veloz, mas vamos lá dar um empurrãozinho pra melhorar nosso tempo. Vendo que eu estava mais perdendo do que ganhando, resolvi ultrapassá-los pra que então eles me empurrassem. Eles receberam minha ajuda o tempo todo durante a classificação e na hora de retribuir não fizeram o mesmo, ou contrário, me empurraram pra fora do traçado. Pouco depois o tempo acabou. Ok, mas ainda assim classificamos num razoável P24, levando em consideração que eram 71 equipes.

Pois bem. Um tempo depois, por volta das 11h, todos os karts estavam alinhados na pista. Miguel iria fazer a largada de nossa equipe, a la Le Mans: Pilotos de um lado da pista, carros do outro. Fui escolhido pra ficar segurando o kart ligado e dar um empurrão quando o Miguel sentasse nele. Aquela porcaria de kart estava morrendo e, depois de eu ter que religar duas vezes o motor, eu tinha que com a mão esquerda segura-lo, já que a reta é em descida, e com a mão direita puxar o cabo do acelerador pra ele não morrer. Funcionou. O que não funcionou foi a largada.

No momento em que a bandeira verde foi dada, Miguel correu em minha direção pra sentar no kart e…  caiu. Sim! Ele pisou no lugar errado e caiu de ombro sobre o volante. Até conseguir sentar no kart e receber meu empurrão, caímos pra baixo de P40. Mas enfim, começou nossa corrida e vamos acelerar pra recuperar!

O que se viu depois disso foi um dia sensacional! É claro que não vou contar as 12 horas de corrida aqui, vou mencionar abaixo os registros que fiz via Instagram durante as 12 horas, e mais no final outras fotos que foram publicadas por outras pessoas. No final das contas, depois de ocupar P40, P5 e terminar a corrida em P12, todos nós nem vimos o dia passar, vivemos só emoções boas, lembranças inesquecíveis e no dia seguinte, além das bolhas nas mãos e das dores musculares nos ombros, costas, pernas, pescoço e no corpo todo, a flor da pela estava as emoções, fotos, comentários, curtidas e desejos de que venham logo os próximos endurances. É, parece que o vício só está crescendo, mas que assim seja! =)

01.11.2014 – 11h52
Tocou o hino nacional, largamos em P24, estamos em P9. Se passaram 35 minutos de prova, Miguel na pista. Devo assumir o kart em mais 30 minutos. Espetacular! ‪#‎500milhas‬ ‪#‎kartodromogranjaviana‬

Imagem1

01.11.2014 – 13h11
Report2# Passamos da volta n100, fiz a segunda perna em 57 minutos, estamos em P13. Temperatura subiu muito, haja hidratação. Na garagem a telemetria. ‪#‎500milhas‬ ‪#‎kartodromogranjaviana‬
500milhas8

01.11.2014 – 14h56
Report3# 3h40 de corrida até aqui. Um problema em um dos nossos pit-stops nos fez perder 30 segundos, caímos pra P34, mas nosso piloto Rodrigo Lopes está incrível na pista! Recuperação incrível e estamos agora em P10. Enquanto tiver combustível ele continuará na pista. ‪#‎amika‬‪#‎500milhas‬

500milhas3

01.11.2014 – 16h41
Report4# 285 voltas completadas. Acabamos de fazer o quinto pit-stop, Miguel pela segunda vez na pista agora. Estão em excelente evolução, disputando o sexto lugar. Proxima parada eu volto pra pista ‪#‎amika‬‪#‎500milhas‬ ‪#‎kartodromogranjaviana‬

500milhas4

01.11.2014 – 19h50
Report5# A corrida já passou de 8h30 de duração, a noite chegou. Fiz mais60 voltas, entreguei o kart na quinta colocação e as bolhas já apareceram nas mãos. Vamos lá que ainda faltam mais de 3 horas de corrida. ‪#‎500milhas‬ ‪#‎kartodromogranjaviana‬ ‪#‎amika‬

500milhas10

01.11.2014 – 22h06
Report6# Entramos na hora final. Já se foram 11h de prova e mais de 530 voltas. Nosso último piloto Rodrigo Lopes está na pista. A missão é conseguir terminar entre os 10 primeiros. Aparentemente algumas circunstâncias levaram embora nosso podium. ‪#‎500milhas‬ ‪#‎amika‬‪#‎kartodromogranjaviana‬

500milhas9

01.11.2014 – 23h47
Report7# E assim acabaram as 500 milhas. Que evento sensacional! Entre 71 equipes terminamos em 13, mas tudo que envolveu este dia tornou a corrida um detalhe Foram mais de 12 horas de muita diversão!‪#‎500milhas‬ ‪#‎kartodromogranjaviana‬ ‪#‎amika‬

500milhas11

Outras Fotos do evento:

500milhas 500milhas2 500milhas5 500milhas6 500milhas7

Anúncios